-->

PUB

PUB

Publicada por / segunda-feira, 16 de novembro de 2009 / 5 Comments /

Especial Depeche Mode | PARA MAIS TARDE RECORDAR


(foto: Blitz/Rita Carmo)
No sábado passado, o Atlântico esgotou para ver e ouvir os DEPECHE MODE. O público nacional recebeu de braços abertos uma banda que, em cima do palco, soube estar à altura do momento. O concerto começou com 3 temas do mais recente "Sounds Of The Universe": "In Chains", "Wrong" e "Hole To Feed". Mais à frente, a banda interpretaria ainda "Miles Away/The Truth Is", um dos temas mais dispensáveis do último álbum. Se as escolhas de "In Chains" e "Wrong" são compreensíveis, não se entende muito bem a opção por "Hole To Feed" e, principalmente, pelo inconsequente "Miles Away". Para mais, quando há em "Sounds Of The Universe" canções muito mais consistentes e interessantes, como é o caso de "Fragile Tension", "In Sympathy", "Peace" e "Come Back". Este foi o único senão de um concerto que a partir de "Walking in My Shoes" teve momentos que roçaram a perfeição. O meu grande destaque vai para a sequência "World In My Eyes", "Fly On The Windscreen", "Sister Of Night" e "Home". Para variar, soube bem ouvir versões "live" de "World In My Eyes", "Fly On The Windscreen" e "Sister Of Night" mais próximas das versões originais, aquelas que conhecemos de álbuns como "Violator", "Black Celebration" e "Ultra". O ponto alto da noite foi, no entanto, a versão "minimalista" e intensa de "Home", interpretada por um Martin Gore visivelmente emocionado. Arrepiante. O momento da noite.
Depois do insosso "Miles Away", seguiu-se o habitual desfilar de êxitos, os temas que marcam presença em quase todos os concerto do grupo. O público do Atlântico, é claro, foi ao rubro. Como fã, substituiria de bom grado alguns desses clássicos por outros temas menos óbvios. Adoraria que os Depeche Mode recuperassem "velharias" como "Lie To Me", "The Sun & The Rainfall", "See You", "Useless" ou mesmo "Master And Servant" (que a banda tocou nos primeiros espectáculos desta digressão). Mas, compreendo que o grupo não possa abdicar dos seus eternos clássicos, pois são eles que lhes esgotam os concertos.
A surpresa da noite foi "One Caress". 16 anos depois, voltou a ouvir-se em palcos lusos um das mais belas canções do genial "Songs Of Faith And Devotion". A banda tocou este tema na sua primeira passagem por Lisboa, em Julho de 1993, durante a "Devotional Tour". Quem escreveu que não houve surpresas no concerto de sábado, no Atlântico, das duas uma: ou estava distraído ou com os ouvidos noutro lado (a propósito, amigo Davide, as "magras reinvenções" deste concerto foram as mesmas de outras digressões, o "intervalo funk" de "Never Let Me Down Again" também foi o mesmo de outras digressões. O "desnorte", portanto, já vem de longe. Quanto ao Martin, tem por hábito interpretar 2 ou 3 temas em todos os espectáculos do grupo. Um "excesso de ego" que, pelos vistos, também já vem de longe. Não percebo o "espanto"...).
O final apoteótico fez-se ao som de "Behind the Wheel" e do inevitável "Personal Jesus". Para trás ficou um concerto que encheu as medidas dos fãs mais devotos, mas também daqueles que se deslocaram ao Atlântico (apenas) para ouvir os "hits" do grupo. Foi um espectáculo memorável que deixou a milhas a actuação da banda em 2005, na mesma sala.
Algumas das "critícas" que tenho lido por aí, classificam o concerto de sábado de "demasiado previsível" (esperavam o quê? Que a banda actuasse despida? Que tocassem uma versão "kuduro" do "Enjoy The Silence"?). E têm razão. Este foi, de facto, um concerto previsível. Era previsível um grande concerto. A previsão concretizou-se.
Voltem sempre, meus caros.

Duas últimas notas: uma positiva, outra negativa. A positiva vai para as projecções em vídeo, sóbrias, cuidadas, eficazes e envolventes, como sempre. A nota negativa vai para o som. Já ouvi melhor no Atlântico. Os primeiros 3 temas fizeram temer o pior. Felizmente, a coisa compôs-se.


Alinhamento:
In Chains
Wrong
Hole to Feed
Walking In My Shoes
Question of Time
Precious
World In My Eyes
Fly on the Windscreen
Sister of Night
Home
Miles Away/The Truth Is
Policy of Truth
It's No Good
In Your Room
I Feel You
Enjoy the Silence
Never Let Me Down Again
Encore:
One Caress
Stripped
Behind the Wheel
Personal Jesus
Share This Post :
Tags :

5 comentários :

gonn1000 disse...

Nunca os tinha visto e não fiquei nada decepcionado. Também acho que no geral foi "previsível" - só não esperava "Sister of Night" (*vénia*) e "One Caress" -, mas isso pouco me incomodou quando funcionou tão bem. E por mim o Gore até podia cantar mais uma ou duas, foi bom ver o intimismo (ou o intimismo possível) das suas três canções num espaço como o Atlãntico.

dream_brother disse...

juro que só li o teu texto depois de 'postar' o meu... o que não deixa de ser estranho...

abraço
FC

DMdevotion devotees fan club disse...

Concordo consigo no geral...

So discordo e muito das projeções!
É do pior que tenho visto nos concertos dos DM!

Excluindo as projeções de walking in my shoes,personal jesus,enjoy the silence,o resto é mais do mesmo,imagens da banda "na hora" e outras projeções realmente desinspiradas!
A das bolas saltitantes então meu deus,é uma aberração(infelizmente)!!!

Projeções á seria eram na Devotional Tour,isso sim era tudo cuidado ao maximo!!

De resto foi "SO" o concerto do ano ;)

abraço!
www.dmdevotion.blogspot.com

O Astronauta disse...

Não gostaste das projecções, caro "devotee"?
Eu gostei. Eram mais luminosas, mais "pop", se quiseres...mas penso que resultaram bem. Claro, que não é justo compará-las com as da Devotional Tour, que foram uma coisa MARAVILHOSA e sem paralelo.

Mas, pronto, concordamos que foi de facto um GRANDE concerto.

abraços

DM Fanclub PT «Staff» disse...

Acho que os fãs levam as coisas demasiado a sério. Esse tipo de projecções (como em '93) já não têm grande significado para a banda actualmente.Não quer dizer que não fossem lindas, eram sim. Em 1993. A banda está numa outra fase e há que o respeitar. O que interessa é o ambiente criado durante o concerto que se quer focado na banda e na relação com o público. Não pôr toda a gente hipnotizada pelos ecrãs.

PLANETA POP | RADAR 97.8

  • SÁBADOS | 23h-01h
  • DOMINGOS (repetição) | 15h-17h
  • SEXTAS-FEIRAS (repetição) | 23h-01h

POSTO-DE-ESCUTA

ARQUIVO:

DIREITOS

Creative Commons 

License